Deputado atua em Brasília para resolver conflito indígena no Médio Vale

Integrantes da Reserva Duque de Caxias estão invadindo propriedades, desmatando e vendendo a madeira.

Integrantes da Reserva Duque de Caxias estão invadindo propriedades, desmatando e vendendo a madeira.

O recorrente confronto entre colonos e índios da Reserva Duque de Caxias, que já dura décadas, ganhou novos capítulos nos últimos meses. De acordo com a prefeita de Doutor Pedrinho, Simoni Nones (PMDB), integrantes da reserva têm invadido propriedades rurais fora da área demarcada. “Eles entram em terrenos que não os pertencem, cortam árvores, danificam a rede de energia elétrica, devastam a mata próximo de nascentes, vendem a madeira e descartam o que não é comercializado em ribeirões da região”, relata ela, que levou o caso ao conhecimento do deputado federal Rogério Peninha Mendonça (PMDB/SC). Nesta quinta-feira, dia 02, o parlamentar esteve na sede da Fundação Nacional do Índio (Funai) e na diretoria da Polícia Federal (PF), no intuito de sanar estes problemas.

Ao diretor executivo da PF, Rogério Galloro, Peninha explicou que os índios costumam interditar a rodovia SC-477, impedindo que os moradores da região possam se deslocar de Doutor Pedrinho a Itaiópolis. O deputado também mostrou ao presidente da Funai, Antonio Costa, relatos de saques a residências, prefeito, secretários e policiais feitos reféns, além de diversas ocupações da Barragem Norte, em José Boiteux. Em uma das invasões, inclusive, os índios xoclengues impediram que técnicos realizassem a manutenção dos equipamentos da barragem, pondo em risco a vida de milhares de pessoas. A comunidade indígena reivindica a ampliação da reserva em que residem, de 14 mil hectares para 37 mil.

Antonio Costa disse ao deputado Peninha que a base da Funai em Santa Catarina está elaborando um relatório atualizado da situação no Médio Vale, e que já há uma ação de reintegração de posse naquele local. Nos próximos dias, uma audiência entre a Funai e a Procuradoria Federal deve pôr capítulos finais a esta novela. “Senti boa vontade por parte da Polícia Federal e da Funai, que também sofrem desgaste com este confronto. Vou acompanhar de perto esta situação e cobrar uma solução rápida e definitiva, para restabelecer a paz na região”, afirmou o deputado.