Em Brasília, vereadores de Ituporanga têm audiência com o presidente da ANACE

Encontro com o representante da Associação Nacional dos Produtores de Cebola foi intermediado pelo deputado Peninha

Encontro com o representante da Associação Nacional dos Produtores de Cebola foi intermediado pelo deputado Peninha

A cultura da cebola, responsável por garantir sanidade fiscal a muitos municípios, gerar empregos, movimentar o comércio local e prover o sustento de milhares de famílias, foi tema de encontro em Brasília, nesta quinta-feira, dia 17. Participaram da audiência com o presidente da Associação Nacional dos Produtores de Cebola - ANACE, Rafael Corsino, o deputado Peninha e os quatro vereadores do PMDB de Ituporanga: Diogo Gastaldi, Edinho Fernandes, Claudinei Eyng (Beleco) e Almir Schaffer (Titi).

Preocupado com a situação dos agricultores catarinenses na safra que está iniciando, Titi Schaffer, que também é produtor na localidade de Bela Vista, propôs a reunião para se inteirar dos passos que estão sendo dados em Brasília. A principal reivindicação é que a cebola seja incluída na Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum do MERCOSUL – LETEC, para que as importações do bulbo sejam taxadas de forma diferenciada na fronteira. “Apesar de este não ter sido o principal problema na última safra, a cebola europeia tem nos aterrorizado ano após ano. O Brasil é autossuficiente na produção de cebola e precisa proteger os seus produtores”, defendeu o vereador.

Corsino explicou que os documentos necessários para formalizar o pedido de inclusão da cebola na LETEC já foram preenchidos e encaminhados à Câmara de Comércio Exterior, que reúne oito Ministros de Estado e demais órgãos da administração pública federal: “A decisão, a partir de agora, é mais técnica que política. Pela primeira vez na história conseguimos pôr a hortaliça na lista de produtos a serem analisados pela CAMEX. É um passo muito importante para a valorização da nossa classe”.

No final do mês, Rafael Corsino e o deputado Rogério Peninha Mendonça têm audiências no Ministério da Agricultura; Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e também na Secretaria do Desenvolvimento Agrário. O objetivo é convencer os chefes destas pastas a votarem para que a cebola passe a integrar a lista de 100 produtos com proteção tributária, a fim de anular a concorrência predatória.