Ministro sinaliza pela devolução de terreno ao município de Taió

Solicitação foi feita pelo deputado Peninha, em audiência com o ministro Dyogo Oliveira, nesta terça-feira

Solicitação foi feita pelo deputado Peninha, em audiência com o ministro Dyogo Oliveira, nesta terça-feira

O terreno de 50 hectares às margens da Barragem Oeste, doado ao governo federal em 1951 para a construção de um Posto Agropecuário, deve ser devolvido ao município de Taió. Após quase sete décadas, nenhuma obra da União foi erguida no local. Nesta terça-feira, dia 19, o deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB/SC) se reuniu com o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, para solicitar que o imóvel seja devolvido à prefeitura.

Imediatamente, o ministro determinou que os técnicos da pasta tomem providências para que a solicitação seja atendida. “Não dá para aceitar que um imóvel fique 66 anos em posse do governo, sem ser utilizado. Se não há planos para o local, que seja devolvido a quem de fato pertence, que é o povo de Taió”. Servidores da Secretaria de Patrimônio da União – SPU se encarregaram de dar agilidade à demanda.

Duplicação da BR-470

O deputado Peninha aproveitou a audiência para tratar da continuidade das obras na BR-470, firmada pelo próprio Presidente Michel Temer em audiência com prefeitos do Alto Vale do Itajaí, na semana passada. Ao ministro Dyogo Oliveira, o parlamentar apresentou questionamentos acerca dos valores previstos para a duplicação.

Dyogo ratificou o anúncio de Temer e assegurou que, de fato, estão empenhados R$ 50 milhões para as obras de alargamento da rodovia neste ano e mais R$ 50 milhões para 2018. “Se houver alterações neste montante, serão para incrementar o orçamento, não para diminuir”, afirmou o ministro. Na avaliação de Peninha, o valor precisa ser maior: “O recurso anunciado pode ser satisfatório para manter as máquinas funcionando, mas não é o bastante para pagar as indenizações das desapropriações às margens da pista”.

Apesar de o repasse ser inferior ao desejado pelo deputado, ele saiu satisfeito do encontro. “Santa Catarina já está farta de tanta promessa. Acredito que, dessa vez, conseguiremos desenterrar a cabeça de burro que existe sob a BR-470. O Presidente da República deu o aval para agilizar as obras, o ministro do Planejamento carimbou os recursos, resta à bancada catarinense em Brasília cobrar a execução dos trabalhos”, salientou.

Além de solicitar incremento do orçamento destinado à rodovia, o parlamentar catarinense pediu também que sejam asseguradas verbas para a manutenção e melhorias pontuais nos trechos onde a duplicação ainda não está prevista. Estima-se que circulem pela BR-470, no trecho do Alto Vale, cerca de 20 mil veículos por dia. A estrutura, no entanto, foi projetada para comportar apenas 4 mil automóveis, ônibus e caminhões.