Peninha lidera comitiva do Alto Vale por obras urgentes na BR-470

Só no ano passado, a principal rodovia do Vale do Itajaí foi palco de 1.722 acidentes, acarretando custo de mais de R$ 125 milhões.

Só no ano passado, a principal rodovia do Vale do Itajaí foi palco de 1.722 acidentes, acarretando custo de mais de R$ 125 milhões.

Enquanto as obras de duplicação da BR-470 caminham a passos de tartaruga, o restante da pista segue sem manutenção. Na opinião do deputado federal Rogério Peninha Mendonça (PMDB/SC), é preciso e possível executar serviços paralelos ao alargamento da via, dar mais fluidez ao trânsito e diminuir o número de mortes. Para tratar deste assunto, o parlamentar encabeçou uma audiência com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Valter Casimiro Silveira, nesta quinta-feira, dia 27. A reunião teve a presença de vereadores de Ituporanga, Pouso Redondo e Laurentino, além da prefeita de Trombudo Central, Geovana Gessner.

Só no ano passado, a principal rodovia do Vale do Itajaí foi palco de 1.722 acidentes, acarretando custo de mais de R$ 125 milhões. Os dados são da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina. “Do ano 2000 até agora, 2 mil pessoas já morreram na BR-470. É como se a população inteira de uma pequena cidade catarinense tivesse sido extinta em menos de 17 anos. E o governo federal tem responsabilidade direta sobre estes óbitos. Nos últimos anos, Santa Catarina foi um dos estados que mais cresceu e contribuiu na arrecadação de impostos, mas a União virou as costas para o nosso estado”, criticou Peninha. Com baixo investimento em infraestrutura, Santa Catarina está perdendo competitividade. Enquanto o custo de logística em solo catarinense é de 14%, o restante do país não passa de 11%.

Representando as Câmaras de Vereadores do Alto Vale do Itajaí, o presidente da UCAVI, Elcio Bonacolsi, explicou ao diretor-geral do DNIT que a BR-470 é a principal ligação entre o interior e os portos catarinenses. “Hoje o Porto de Itajaí concentra 80% da exportação do nosso estado, com valores que somam mais de R$ 6 bilhões. No entorno da BR, estão localizadas mais de 20 mil empresas, que empregam cerca de 230 mil trabalhadores. Construção de terceiras faixas, trevos e passarelas são medidas paliativas que ajudarão a destravar os congestionamentos constantes e diminuir o número de acidentes”, destacou.

Valter Casimiro lamentou a pequena dotação orçamentária do órgão, mas assegurou que adotará medidas urgentes para amenizar os principais problemas da pista. De acordo com ele, há ordens do Palácio do Planalto para destacar a BR-470 como obra prioritária em Santa Catarina.