Primeiro Encontro Nacional de Detetives motiva a categoria

Durante assembleia em Brasília, deputado Peninha falou sobre o Registro Profissional junto à Polícia Federal

Durante assembleia em Brasília, deputado Peninha falou sobre o Registro Profissional junto à Polícia Federal

Detetives particulares de todo o Brasil marcaram presença no primeiro Encontro Nacional, que foi realizado nesta quinta-feira, dia 10, em Brasília. Diversos assuntos de interesse da categoria foram discutidos durante todo o dia, principalmente o projeto de lei do deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB/SC) que trata do registro profissional na Polícia Federal.

Peninha fez questão de participar do encontro e foi recebido com aplausos no Auditório Freitas Nobre. O parlamentar destacou a oportunidade como única, para discutir o texto do PL 9323/17. “Eu dei o pontapé inicial para a categoria se organizar: apresentei o PL; agora cabe a eles discutirem os detalhes sobre o que acreditam ser necessário constar no texto”, explicou o deputado.

Durante o evento, o parlamentar foi presenteado com um óculos de sol preto, acessório que se tornou identidade da profissão - um presente simbólico em forma de reconhecimento e gratidão. “Nossa assembleia foi muito positiva. A categoria que antes estava desmotivada e desmobilizada, agora tem uma liderança legítima, e o próximo passo será levar isso também para os estados. Agradecemos ao deputado Peninha pelo apoio que tem nos dado e, principalmente, pelo interesse em ajudar”, resumiu Luiz Gomes, integrante da Associação Nacional dos Detetives e Investigadores Privados do Brasil (Anadip/RJ).

O PL tramita na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, e aguarda a designação do relator. Estima-se que no Brasil, existam mais de 300 mil detetives particulares, pelo menos 35 mil atuando no mercado de trabalho. Atualmente não há uma regulamentação específica que exija o registro profissional junto à Polícia Federal.