Aprovado o título de Capital Nacional da Moda Infantil para Gaspar

Projeto de autoria do deputado Rogério Peninha (MDB/SC) teve aprovação definitiva na Câmara dos Deputados

Projeto de autoria do deputado Rogério Peninha (MDB/SC) teve aprovação definitiva na Câmara dos Deputados

O projeto que torna Gaspar a Capital Nacional da Moda Infantil obteve a aprovação definitiva da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (15). A Comissão e Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) analisou a proposta em caráter conclusivo e deu parecer favorável. Agora, ela segue para o Senado Federal e, se aprovada, vai à sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O autor do projeto, deputado Peninha, fala a respeito das oportunidades que virão com o título. “Santa Catarina é o segundo maior polo têxtil do Brasil e Gaspar é referência na moda infantil com 500 fábricas especializadas neste tipo de confecção. É um importante passo para a cidade e para todo o Vale do Itajaí, vai incentivar o turismo de compras, feiras e a projeção de mercado”.

A apresentação do projeto no Congresso Nacional foi motivada pela Associação do Comércio e Indústria de Gaspar (Acig). Uma comitiva do município, formada por lideranças políticas e empresários, acompanhou a aprovação da proposta na CCJ, em Brasília. “Com esse título teremos um holofote que vai fortalecer o setor e permitir avanços em projetos e ações junto à classe empresarial”, ressalta o prefeito, Kleber Wan-Dall.

Negócios fortalecidos

Gaspar faz parte do polo têxtil de Blumenau, que concentra 10% das indústrias do ramo do Brasil. Na região, são produzidas 440 mil toneladas de tecido anualmente. Em Gaspar, de acordo com a ACIG, o setor emprega 9 mil trabalhadores diretamente e mais de 50% de toda a moda infantil do Brasil é produzida na cidade.

O deputado Peninha vê o título, principalmente, como uma forma de impulsionar os negócios no período pós-pandemia. “Muitas famílias da cidade e da região dependem do segmento para a sobrevivência. Este reconhecimento vem somar no sentido de ampliar os negócios a nível nacional e internacional”, projeta.

O texto teve a relatoria do deputado catarinense Darci de Matos (PSD), que declarou a proposta constitucional. Além da CCJ, o projeto também passou pela avaliação da Comissão de Cultura.