Catarinenses pressionam ministro de Minas e Energia para evitar fusão anunciada pela Eletrobras

Bancada tenta impedir que Santa Catarina perca a única estatal federal com sede no Estado

Bancada tenta impedir que Santa Catarina perca a única estatal federal com sede no Estado

Os parlamentares catarinenses foram enfáticos: “não vamos abrir mão da Eletrosul”. O pedido foi unânime da bancada para o ministro de Minas e Energia, Bento Costa Lima, durante audiência em Brasília. A referência é ao anúncio feito pelo governo federal sobre a fusão entre a Eletrosul e a empresa gaúcha CGTEE - Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica.

“Nós vamos perder R$ 60 milhões de Fundo de Participação dos Estados por ano, porque o movimento econômico passará a ser registrado no Rio Grande do Sul. A Eletrosul tem 1,2 mil empregados com lucro líquido de R$ 207 milhões, enquanto a CGTEE tem 350 funcionários, e pior, encerrou 2018 com prejuízo de R$ 562 milhões. Basta olhar para estes números para ver que esta fusão é inconcebível”, argumentou o coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, Rogério Peninha Mendonça.

Em janeiro de 2019, a Eletrobras - Centrais Elétricas Brasileiras S.A. - anunciou a fusão entre as duas empresas. Na prática, com a incorporação, a sede passaria a ser em Candiota/RS e não mais em Florianópolis, onde pelo menos 800 funcionários da CGTEE já trabalham. A bancada argumenta ainda que o patrimônio líquido da empresa gaúcha é negativo em mais de R$ 4 bilhões, enquanto o da Eletrosul é positivo em mais de R$ 6 bilhões.

Mediante a pressão dos parlamentares, o ministro se comprometeu a discutir a fusão com a equipe da pasta. Ele garantiu, ainda, que as mudanças serão estritamente de caráter técnico. Para Peninha, o posicionamento é preocupante. “Essa é uma decisão que vai afetar diretamente a arrecadação do nosso Estado e não vamos aceitar que Santa Catarina seja prejudicada novamente”, concluiu.

Além do coordenador do FPC, também participaram do encontro o senador Jorginho Mello (PR) e os deputados Celso Maldaner (MDB) e Pedro Uczai (PT), além do secretário de Articulação Nacional, Diego Goulart.

AUDIÊNCIA PÚBLICA:

Na próxima segunda-feira, dia 13, o Fórum Parlamentar Catarinense promove Audiência Pública na Assembleia Legislativa de Santa Catarina para discutir a fusão. O encontro será na no auditório Antonieta de Barros, a partir das 9h.

Logo após, o governador Carlos Moisés da Silva recepcionará os parlamentares da bancada federal para um almoço, às 12h, na Casa da Agronômica.