Governo anuncia credenciamento do Setor Oncológico para o Alto Vale

Medida havia sido solicitada pelo deputado Peninha no mês passado, em Brasília

Medida havia sido solicitada pelo deputado Peninha no mês passado, em Brasília

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, assegurou o credenciamento do setor de Oncologia do Hospital Regional Alto Vale – HRAV, em Rio do Sul, nesta terça-feira (24). O anúncio ocorreu em Brasília, durante audiência com lideranças do Alto Vale do Itajaí. Com o credenciamento, moradores de toda a região poderão utilizar o novo espaço, com capacidade para 500 atendimentos mensais; hoje, apenas pacientes de Rio do Sul são beneficiados com o tratamento.

Occhi se comprometeu a credenciar o serviço oferecido pelo Hospital Regional durante a próxima semana. Para o deputado catarinense Rogério Peninha Mendonça (MDB), esta é uma das melhores notícias do ano. “Atualmente, cerca de 450 pessoas com câncer no Alto Vale têm que se deslocar para Lages, Blumenau ou Florianópolis. Muitos desses pacientes estão com a saúde debilitada, e o deslocamento castiga ainda mais eles e suas famílias. Poder tratar a doença mais perto de casa também é uma forma de humanizar o atendimento”, explicou.

De acordo com o vereador ituporanguense Adriano Coelho (PP), que preside a União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí – UCAVI, só este anúncio já valeu a viagem à capital federal: “Esta é uma luta que encampamos com o apoio de muitas lideranças e, graças à união de esforços, hoje estamos colhendo a conquista. O setor oncológico está pronto, tem capacidade técnica e clínica. Faltava apenas o credenciamento por parte do Ministério da Saúde. Volto pra casa com o sentimento de dever cumprido”.

O Centro de Oncologia do HRAV tem área de 1,3 mil m², com capacidade para 60 cirurgias e 500 atendimentos mensais de quimioterapia, além de consultórios para atendimento reservado. As obras foram concluídas em 2017 e a inauguração ocorreu em março desse ano. No mesmo mês, Peninha requereu o credenciamento do setor ao então ministro da Saúde, Ricardo Barros, que deixou o cargo no início de abril. Os deputados Esperidião Amin (PP), Carmem Zanotto (PPS) e João Paulo Kleinübing (DEM) também tiveram papel importante para a conquista.