Peninha articula cessão de terreno do DNIT para Bombeiros de Rio do Sul

A ideia é retirar a sede da corporação de área vulnerável a alagamentos no bairro Jardim América

A ideia é retirar a sede da corporação de área vulnerável a alagamentos no bairro Jardim América

Em audiência na capital federal, o deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB/SC) solicitou a cessão de um terreno do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes para a construção de uma nova sede dos Bombeiros Militares de Santa Catarina, na cidade de Rio do Sul. Hoje a corporação está em uma área vulnerável a alagamentos recorrentes.

Durante encontro, nesta terça-feira, dia 24, com o diretor geral do DNIT, Halpher Luiggi, o parlamentar falou sobre a necessidade da mudança da corporação. “É inaceitável que um órgão de busca, resgate e resposta rápida, tenha que se preocupar primeiro em salvar a sua estrutura, para depois conseguir ajudar a comunidade. Hoje, a companhia está em uma das primeiras áreas alagadas em período de cheias. Nós precisamos tomar uma providência o quanto antes para sanar esse problema”, protestou Peninha.

O terreno solicitado pelos bombeiros fica à margem da BR-470, em frente ao principal trevo de acesso à cidade de Rio do Sul. A área de quase 12.800 m² não tem risco de alagamentos e é ocupado hoje apenas pela sede da Superintendência Regional do DNIT. “A Companhia solicitou a cessão de uma área de 7.500 m², semelhante à utilizada hoje na área central. Para isso, a contrapartida seria a realização de melhorias que atendem às necessidades do departamento e também da corporação”, explicou o vereador James Rides, que também é bombeiro militar da reserva.

Entre as melhorias previstas estão: fechamento total da área do terreno com muro, construção de novo portão e guarita, garagens cobertas, laboratório de solo e um galpão fechado de alvenaria. As despesas de melhorias e instalação serão custeadas pela corporação e realizadas de forma gradativa. A sinalização do diretor do DNIT quanto à solicitação do grupo foi positiva, e deve ser avaliada juntamente com outro pedido de ocupação temporária do espaço, feito pelo Batalhão de Engenharia Ferroviária de Lages, para uso temporário entre 18 e 24 meses, durante a construção de 10 quilômetros da Ferrovia das Bromélias.

Também estiveram presentes na audiência, o presidente da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí - AMAVI, prefeito Cesar Cunha, e o presidente da União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí – UCAVI, Adriano Coelho. Além deles, participaram os vereadores Fernando Cesar Souza (Nandu) e Chico Goetten, de Rio do Sul; o vereador Glauco Kühl, de Lontras; Marlon Goede, de Trombudo Central, e o Chefe da divisão de Recursos Humanos do CBMSC, Ten. Cel. Mombelli.